“Madruga” novo single de Mike11

Depois do lançamento do projeto “19.2K”, Mike11 está de volta com “Madruga” uma balada melancólica com uma sonoridade quente, adornada pela sua icónica guitarra portuguesa, consegue abrir o seu coração.

“Madruga” é o primeiro single de Mike11 após o seu primeiro álbum, que marca também o início da sua ligação à label Virgin Music Portugal.
A sua voz suave envolve a insatisfação e a procura insaciável numa melodia audaz permeável ao passado – inequívoco o mais clássico R&B – e ao presente – numa fusão urbana com o êxtase da sua guitarra portuguesa, que surge onde menos esperávamos encontrá-la – reafirmando que o seu futuro amanhecerá sempre no amor.
Esta sonoridade desafiante, que traz algo de verdadeiramente refrescante ao panorama nacional, conta com a produção e composição do próprio Mike11, em parceria com o produtor ZOO.

Mike11 cresceu a ouvir Hip-Hop e R&B, mas começou a carreira a cantar fado. Ainda não era ali que estava, então procurou-se, na guitarra portuguesa, sob a tutela de Arménio de Melo. Começou a viver de noite nas casas de fado: em 2012, foi premiado como revelação na guitarra portuguesa e, aos 14 anos, já era um nome a ter em conta, brilhando ao lado de alguns dos melhores fadistas do nosso país.

Levou tudo o que sabia para uma temporada nos Estados Unidos, onde aprendeu, cresceu e produziu várias faixas, mas adiou o lançamento do primeiro álbum até que a identidade estivesse sólida. Gosta de viver em estúdio, de procurar e de experimentar, e infunde o seu estilo indelével em colaborações com vários músicos. Assim, torna-se num artista que funde a tradição portuguesa – através da guitarra portuguesa e da guitarra clássica – às melodias do R&B, cantando para dar voz aos seus instrumentais. 

“Viver Aqui” novo single de OS INTENCIONAIS

Viver Aqui” é o single que se segue a “Não fujas de mim” (canção com cheiro a Verão, sobre a complicada relação entre o romance efémero e o desejo de amor eterno) e mais uma vez, Silva e Henrique olham para as duas faces da moeda. A coroa da felicidade e a cara do desânimo. Ou talvez seja o inverso. Em ambos os casos, há uma solidez precocemente invulgar na escrita e uma personalidade desde já reconhecível. 

Representar a beleza do comum e vulgar em cançōes pode parecer exercício de principiante, mas só está ao alcance de quem sabe fazer Cubos de Rubik sem abrir o YouTube – uma poção bebida de alguns dos mestres brasileiros em quem se inspiram. Os Intencionais têm essa valiosa e invulgar capacidade de descomplicar o difícil e fazer de equações de múltiplas incógnitas uma regra de dois simples. 

Há quem venha para a cidade em busca de oportunidades, mas também há quem parta no sentido contrário ao do trânsito, sem que, no fim, a distância constitua um problema. Há sempre uma saída e sobretudo o poder da música a unir pessoas, vontades e ideias. Foi assim que nasceram Os Intencionais. Francisco Marques Silva e Henrique Ribeiro Fernandes conheceram-se quando a família do primeiro fez as malas e se mudou de Lisboa para Vila Real de Santo António.

Ambos já tinham histórico na música, na escola, em diferentes formações das quais fizeram parte, assim como da banda à qual Henrique pertenceu como trompetista. Amigos desde o começo da adolescência, congregaram esforços e começaram a escrever canções a quatro mãos, enquanto animavam noites algarvias com clássicos da folk americana, música portuguesa badalada, Beatles, Caetano Veloso ou Chico Buarque. 

O diálogo cresceu e em pouco tempo Os Intencionais – uma homenagem ao poeta “natural da vila” António Aleixo – tinham nome e repertório. O resto é o princípio da história de Silva e Henrique, hoje com 18 e 22 anos, respectivamente. 

LUÍS SEQUEIRA LANÇA NOVO SINGLE - "SÓ"

Luís Sequeira está de regresso! O cantor de sucessos como “Tu Não Sabes” e “Se Ao Menos Eu Te Odiasse” traz-nos hoje ““, um tema com uma mensagem sobre os meandros da solidão, a importância de sabermos estar sozinhos e de conquistarmos o nosso lugar no mundo.

Após dois anos de pandemia, esta reflexão conduz à conclusão de que o amor próprio ampara momentos de isolamento e enriquece a nossa relação com nós próprios.

Com letra de Jorge Cruz e com composição e produção de Tiago Pais Dias, esta canção promete fazer-nos refletir, ao mesmo tempo que nos absorve nas suas harmonias melódicas e ritmos dançáveis, mas sem perder o lado introspectivo e nostálgico a que Sequeira já nos habituou.

” foi gravado nos Estúdios Valentim de Carvalho e teve a sua estreia ao vivo nas Festas do Mar, em Cascais. Já pode ser ouvida em todas as plataformas digitais.

A NV DÁ AS BOAS-VINDAS AO MIKE11

Cresceu a ouvir hip hop e R&B mas começou a carreira a cantar fado. Ainda não era ali que estava, então procurou-se na guitarra portuguesa, sob a tutela de Arménio de Melo. Começou a viver de noite nas casas de fado: em 2012, foi premiado como revelação na guitarra portuguesa e, aos 14 anos, já era um dos grandes, pisando todos os palcos. Mas quis avançar, o início continuava a chamá-lo: do fado, trouxe a linguagem e a tradução do sentir, o ensinamento da abertura que o peito precisa de ter à música, e dedicou-se a encontrar-se. Levou tudo o que sabia para uma temporada nos Estados Unidos, onde aprendeu, cresceu e produziu várias faixas, mas adiou o lançamento do primeiro álbum até que a identidade estivesse sólida. Mike11 entendeu que, enquanto artista, não tinha de escolher: podia colocar tudo o que tinha, tudo o que era, em todas as canções. Gosta de viver em estúdio, de procurar e de experimentar, e infunde o seu estilo indelével em colaborações com vários músicos. Assim, torna-se num artista que funde a tradição portuguesa — através da guitarra portuguesa e da guitarra clássica — às melodias do R&B, cantando para dar voz aos seus instrumentais. Toca, produz e escreve, procurando sempre o equilíbrio entre a leveza e o significado. 19.2K, lançado em 2021, é o seu primeiro álbum. 

THE REDBEDS MARCARAM PRESENÇA NO ROCK IN RIO

Foi no passado dia 18 de junho que o The Redbeds subiram ao Super Bock Digital Stage no Rock in Rio para uma atuação cheia de garra e e com uma sonoridade contagiante.
Francisco, Joaninho, Tiago e Gabriel mostraram o seu incrível talento e forte identidade musical.

OS THE REDBEDS JUNTAM-SE À FAMÍLIA NV!

Na verdade, a Nação Valente está a trabalhar há já algum tempo com a banda preparando o seu lançamento, mas podemos agora divulgar publicamente esta união.
Os The Redbeds nasceram em 2018 em Lisboa, numa altura em que os membros da banda estavam mais concentrados nas suas carreiras artísticas como free-lancers. Da representação à música, o universo de Francisco, Joaninho, Tiago e Gabriel é muito vasto. 

Enquanto banda, os The Redbeds procuram misturar a essência do Rock n’ Roll clássico com sonoridades características da música moderna, com objetivo de, não só criar a sua própria identidade, como também de se assumirem como um projeto diferente e abrangente. Com influências presentes em Artic Monkeys, Dire Straits, Rolling Stones, AC/DC ou The Beatles, também se deixam guiar por artistas mais atuais, tais como Harry Styles, Måneskin e Shawn Mendes. Não se coibindo de assumir a sua própria personalidade, a amplitude musical dos The Redbeds é bastante vasta, eclética e dinâmica, proporcionando momentos tão Rock n´Roll como Glam Pop.

Apesar de ser um projeto recente, os The Redbeds têm já no seu curriculum marcos importantes, tais como a participação no filme italiano “A Son Named Erasmus” (2019), terem sido os vencedores do concurso Rootstock Festival (2020) e ainda por terem ganho o troféu Best New Talent nos IPMA: International Portuguese Music Awards (2021). 

2022 marca o ano do lançamento oficial dos The Redbeds, com passagem obrigatória pelo palco Superbock Digital Stage do Rock in Rio, estando a edição do primeiro single prevista para o verão deste ano. 
The Redbeds para ver e ouvir num palco perto de ti! 

OS INTENCIONAIS LANÇAM O SEU SINGLE DE ESTREIA

O Francisco Marques Silva (Silva) e o Henrique Ribeiro Fernandes (Henrique), conheceram-se quando o Silva e sua família decidiram mudar de Lisboa para Vila Real de Santo António. A Música já os acompanhava desde bem pequenos. Ora na escola em várias formações, ora em bandas coletivas em que o Henrique era trompetista. Amigos desde o início da adolescência, unificaram-se na música à entrada do ano 2000. Nesse ano começam a escrever e a compor as suas próprias canções. O Silva na altura com 16 anos e o Henrique com 20. Nas noites daquele Algarve, ainda bem alentejano, andavam de bar em bar, restaurante em restaurante, a interpretar os folks americanos, clássicos da música portuguesa, bem como as suas versões dos Beatles, Chico Buarque ou Caetano. A partir de certa altura, começaram a espalhar os seus originais, sob o nome “Os intencionais” homenageando o poeta António Aleixo, natural da “Vila” – como eles próprios a ela se referem. Hoje, com 18 e 22 anos respetivamente, Os Intencionais revivem nas suas criações o complexo da música portuguesa, com uma abordagem própria que denota a influência dos grandes autores brasileiros e também elementos de criações contemporâneas da cultura hipster que temperam as suas composições com texturas exteriores ao mainstream.

FILIPA VIEIRA PREPARA NOVO TRABALHO

FILIPA VIEIRA já está em estúdio a preparar o seu novo trabalho. Neste disco, Filipa leva o seu Fado numa incursão experimental, um caminho que faz acompanhada pelo produtor Tiago Pais Dias.
A gravar nos emblemáticos estúdios da Valentim de Carvalho, Filipa Vieira prepara o seu primeiro disco cujo lançamento está previsto ainda para este ano. 

Com produção de Tiago Pais Dias, este trabalho explora o espírito inventivo, curioso e arrojado da fadista que se seduziu por sonoridades mais electrónicas e experimentais.
“Passo Apressado” foi o primeiro avanço para o projeto e, em breve, vamos poder ouvir um novo single de Filipa que conta com a participação de Tiago Valentim no baixo, Flávio Cardoso na viola, Pedro Dias na guitarra portuguesa, Carlos Lopes no acordeão e João Rato no piano.

Vai ser impossível ficar indiferente à voz, à musicalidade e à imagem de Filipa Vieira, que veio para ficar no fado e na música portuguesa.

JONAS - TOUR "SÃO JORGE"

Jonas já iniciou a tour “São Jorge”, um concerto intimista em que o fadista que se entrega de corpo e alma à sua arte, evocando memórias que se conjugam numa história que é comum a quem o escuta com ouvidos atentos e delicados.

No dia 22 de abril, Jonas vai subir ao palco do pequeno auditório do CCB no ciclo Há Fado no Cais para, uma vez mais, nos encantar com a sua presença e com o seu Fado.

Copyright © 2022 | Nação Valente